Como manter um estudante on-line e diminuir a evasão em um curso?

Como manter um estudante on-line e diminuir a evasão em um curso?

Conseguir manter um estudante on-line focado em seu curso a distância é um dos grandes desafios dos desenvolvedores desse tipo de ensino, e é imperioso que haja um esforço para que esses alunos sejam mais focados e mais dedicados aos seus estudos.

Além dos níveis de reprovação serem altos em cursos virtuais, também pesa o fato de que a evasão é muito grande, o que traz prejuízos não só para os alunos, mas também para as instituições responsáveis por esse tipo de curso.

Assim sendo, a seguir nós vamos te dar cinco dicas de como manter um estudante on-line concentrado em seu curso, conseguindo bons resultados a partir desse método de ensino e sem considerar desistir no meio do caminho! Venha conferir as nossas orientações e se surpreender!

5 dicas para conseguir manter um estudante on-line concentrado nos estudos

1) Compreenda as razões para a evasão.

Como comentamos previamente, um dos grandes problemas do ensino a distância é que a quantidade de evasões é enorme, e a maior parte das instituições não sabe muito bem o que fazer para combater esse problema.

Ora, talvez a resposta para essa pergunta esteja na compreensão profunda das origens dessa evasão. Por que alunos que se dispuseram a aprender dentro dessa metodologia de ensino acabam desistindo em algum momento? Bem, são muitos os fatores que pesam para a tomada desse tipo de decisão, mas entre os principais podemos citar:

  • A dificuldade em dominar as tecnologias da comunicação necessárias a esses cursos, atrapalhando o estudante on-line na sua caminhada dentro das atividades virtuais.
  • A tensão desse aluno para se expor no ambiente on-line, com o objetivo de se comunicar e trocar ideia.
  • O obstáculo de não ter o contato pessoal e o olho no olho com os responsáveis, que faz com que muitos acabem se perdendo e se desconcentrando de suas funções e obrigações.
  • A falta de hábito para ler e estudar por conta própria, que é fundamental quando se está em um curso a distância.

É importante lembrar que esse último motivo tem um grande peso e conecta-se fortemente aos nossos costumes enquanto povo e nação. Não somos habituados a ler; pesquisas apontam que 70% dos brasileiros não leem sequer um livro por ano. Isso torna ainda mais complicada a missão de se iniciar e terminar um curso on-line!

2) Procure desenvolver um conteúdo mais atraente.

estudante online

Nem sempre os desenvolvedores de cursos virtuais consideram a realidade do estudante on-line, mas ela é dura. De modo geral, esse aluno passou o dia inteiro trabalhando e chega em casa exausto, querendo descansar e se distrair, mas sabe que precisa estudar.

Páginas cheias de textos longos e complicados jamais vão ajudar a prender um indivíduo que se dedica ao aprendizado nessas condições. Mesclar esse material com imagens que sejam autoexplicativas e exercícios de fácil compreensão é, portanto, imperioso. Assim, ele aprende ao mesmo tempo em que testa a assimilação do que já estudou.

Se a aula for em vídeo vale a pena, por exemplo, colocar um chat dentro do sistema, para que o aluno que está on-line tenha a chance de comentar o tema que está sendo debatido. É claro que isso pede mais infraestrutura e investimento por parte das empresas, mas o retorno costuma ser excelente, porque o aluno se sente mais próximo e mais conectado ao professor.

Outra pedida é apostar nos materiais de leitura mais básicos e diretos, que sejam desenvolvidos de forma divertida. Vídeos claros e de impacto também ajudam e atraem esses estudantes.

 

3) Esforce-se para ter um material persuasivo.

Para que afirmar, se podemos questionar? Questionamentos sempre são mais instigantes do que afirmações, e os professores aplicam essa lógica diariamente na sala de aula presencial. Então, vale igualmente a pena apostar nessa técnica na sala de aula virtual.

É claro que criar uma indagação não vai ser suficiente. O ideal é sempre desenvolver uma polêmica em torno da pergunta que você quer fazer, fazendo com que o estudante on-line indague-se o tempo todo sobre o tema em questão enquanto está aprendendo. Atiçar o seu interesse é um ótimo incentivo para que ele assimile o conteúdo da melhor forma possível!

Agora, um cuidado que você precisa ter é o de não tornar a sua aula infantil em demasia. Nada de colocar imagens bobas ou gráficos tolos para o seu público, que é formado majoritariamente por adolescentes e adultos. Isso não vai ser interessante para essa faixa etária, e ainda vai soar desrespeitoso.

4) Tenha o cuidado de criar aulas interativas.

Uma característica que normalmente o ensino a distância costuma não oferecer é a interatividade, e isso acaba afastando muitos alunos de suas bases.

Agora, não há motivo para que seja assim, uma vez que hoje temos vários meios de nos comunicar e de dinamizar com o próximo. A maioria dos mecanismos de interação estão na palma da mão, e, com interesse e boa vontade, é perfeitamente possível utilizá-los corretamente. Aí vão algumas possibilidades para serem consideradas:

  • Os jogos.
  • As plataformas dos cursos virtuais para dispositivos móveis.
  • Os chats.

5) Procure sempre oferecer um conteúdo relevante.

estudante online

Isso é provavelmente o que mais importa quando estamos falando de cursos a distância: eles precisam ter um conteúdo que seja relevante no dia a dia e na vida daqueles alunos.

Se não for assim, o estudante rapidamente vai se desconectar do que está fazendo no curso, por mais que a forma na qual o conteúdo é apresentado seja interativa, instigante e interessante em muitos graus. Não importa muito a embalagem se o que vem dentro não nos traz nada de fato, especialmente quando estamos pagando para aprender.

Como você pôde ver, não é difícil evitar a reprovação e a evasão dos cursos on-line, mas é necessário esforço e dedicação! Acreditamos que essas cinco dicas, se forem bem aplicadas, são perfeitas para atingir esse intento. Então, foque em cada uma delas e não desista, pelo ensino a distância e pelo estudante on-line! Para saber mais sobre o tema (no caso, salas de aula invertidas), clique aqui.